domingo, 15 de outubro de 2017

Parece sempre o mesmo jogo

Os jogos fora de casa do Benfica parecem cada vez mais uma repetição dos anteriores. Com a bola muitas dificuldades em furar as defesas adversárias e sem bola não existe capacidade para controlar o adversário.

Para mim o problema resume-se ao equilíbrio da equipa. Ou melhor, na falta dele. O Benfica anda a privilegiar em demasia a técnica em detrimento da força. É Rafa, Zivkovic, Cervi, Pizzi, Krovinovic, Grimaldo ou Jardel (este porque está muito mal fisicamente) em vez de Eliseu, Ruben Dias, Filipe Augusto, Samaris, Diogo Gonçalves ou Gabriel. Não estou a dizer que devem jogar os que eu disse em segundo lugar em vez dos primeiro. Mas tem de existir um equilíbrio entre eles.

Por exemplo em mais de 1 época Rafa, Cervi ou Zivkovic lançaram um míssil como fez Diogo Gonçalves ontem? Ou algum dia vão fazer? Algum mostrou ter potência e força nos arranques como Diogo Gonçalves fez ontem pela direita em 2 ou 3 lances que ganhou a linha de fundo?

Depois existe o problema de Pizzi jogar num meio-campo a 2, e muitas das vezes sem extremos com capacidade defensiva, que tornam a equipa demasiado vulnerável. E a estatística neste aspecto não mente.

Fora de casa, em 2015/2016 Pizzi jogou uma vez na posição 8. Derrota em Arouca por 1-0. Depois disso apenas uma derrota no Dragão e um empate contra o União da Madeira. De resto só vitórias onde se destacaram os 4-0 em Tondela, 2-0 em Braga, 4-2 em Setúbal, 4-1 na Madeira, 4-1 em Moreira de Cónegos, 5-0 em Belém e 1-0 em Alvalade. Mesmo na Liga dos Campeões tivemos grandes vitórias por 2-1 em Madrid e em São Petesburgo.

Na época passada, mesmo que sem o mesmo controlo dos jogos da época anterior, começámos com vitórias por 2-0 em Tondela, 3-1 na Madeira, 2-1 em Arouca num jogo onde falhámos um número absurdo de golos e 2-0 em Chaves. Depois entrou Pizzi para o meio e daí para cá apenas vencemos 2 jogos por mais do que um golo de diferença. Em Guimarães e Belém. Vencemos 6 jogos pela margem mínima, empatámos 6 e perdemos 3. Em nenhum jogo marcámos mais do que 2 golos e apenas em 3 marcámos 2. Nos restantes 14 jogos marcámos apenas 1 golo ou mesmo nenhum!!!

Querem mais exemplos de como a técnica não é tudo? O Sporting de 2015/2016 sofria poucos golos. Saíram Slimani e João Mário e a equipa, com a mesma defesa e a mesma dupla de meio-campo, sofreu mais do dobro dos golos. E os substitutos de ambos foram Bas Dost (marcou mais golos que Slimani) e Gelson Martins que é o jogador mais valorizado do Sporting. O problema é que nenhum dos 2 deu o equilíbrio que Slimani e João Mário davam defensivamente.

Outro exemplo é o Porto desta época. Em casa com o Besiktas jogou com Oliver e Danilo no meio-campo e levou 3 que podiam ter sido mais. No Mónaco meteu lá Herrera e Sérgio Oliveira e ganhou 3-0. E Herrera é melhor que Oliver? Não. Oliver em 10 passes falha 1 enquanto que o Herrera nos mesmos 10 acerta 3 ou 4. A questão é que os jogadores do Mónaco foram batendo num muro e foram perdendo força física e psicológica. E o Porto, depois de um golo num lançamento lateral, matou o jogo numa jogada com 3 toques.

Rui Vitória tem muito por onde escolher para equilibrar a equipa e tem de o fazer. Se não fizer vão continuar a aparecer exibições pobres como as dos últimos jogos e neste momento sem a confiança que a equipa tinha na época passada por estar em primeiro lugar. Mesmo a equipa parece que já não acredita neste sistema. É psicologicamente extenuante para os jogadores sofrerem sempre tanto para vencer os jogos fora de casa.

Por isso muda Rui Vitória. Não continues à espera que as coisas mudem sozinhas porque isso não vai acontecer.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

O mundo ao contrário

Nos últimos 4 anos o Benfica fez grandes vendas, nos últimos 2 lançou vários jovens formados no clube, reduziu passivo e empréstimos bancários, mas ACIMA DE TUDO VENCEU quase todos os títulos que havia para vencer internamente. Nas modalidades a mesma coisa e com títulos europeus. Em qualquer parte do mundo uma gestão destas era considerada de excelência. Em todo o lado menos em Portugal.

Em Portugal no dia em que o Benfica teve o melhor resultado financeiro de sempre o que se falou foi o passivo que diminuiu pouco, as comissões, fizeram-se exercícios matemáticos onde foram subtraídas as amortizações ao valor que o Benfica recebeu da venda de jogadores e os jornais, aproveitando uma série negativa de resultados, até convocaram os sócios do Benfica a aparecerem na AG de aprovação de contas.

Já o imparável Sporting, no seu melhor ano em termos de vendas de jogadores, aumentou o seu passivo em "apenas" 60 milhões e vem de uma época desastrosa onde em Janeiro já não lutava por nada. Neste caso já não existiram convocatórias para a AG e a centena de sócios que por lá apareceu ainda foi culpada pelo seu presidente da falta de títulos. O motivo segundo o próprio é demasiado Facebook dos seus adeptos. No final uma salva de palmas para a brilhante gestão.

Falando dessa gestão nos últimos anos... Academia de Alcochete já é de um banco. Percentagens de venda de jogadores é para os bancos. Receitas da UEFA vão para a Doyen e para os bancos. Ex-jogadores e dirigentes vão ganhando processos em tribunal e estão à espera que lhes paguem. Antecipação de receitas do contrato de direitos televisivos. VMOCs serviram para esconder um passivo que continua a aumentar (80 milhões nos últimos 2 anos) e já vai nos 310 milhões (se somarem as VMOCs e o passivo de todas as empresas do grupo, deve ultrapassar largamente os 600 milhões).

No futebol vão de vento em popa. Não estão em primeiro em nenhuma competição. Vão em 4 jogos seguidos sem vencer. Apenas um golo marcado nesses jogos e num lance irregular. Receberam um adversário directo com a possibilidade de passar para a frente do campeonato e acabaram por levar um banho de bola e apenas criaram uma oportunidade de golo em 90 minutos. 

Já o Porto apesar do primeiro lugar no campeonato também não tem um futuro muito risonho. Não ganhou nenhum titulo nos últimos 4 anos. Aumentou o passivo de 233 para 377 milhões (era o valor no último semestre). Está intervencionado pela UEFA. Está a dever dinheiro a ex-jogadores e treinadores. Também já antecipou receitas dos direitos televisivos. Tem um plantel curto e teve de aproveitar todos os jogadores que tinha emprestados. Tem jogadores como Maxi Pereira e Casillas a colocar os custos com pessoal insuportáveis. O seu melhor jogador pode assinar contrato por outro clube em Janeiro. Dos jogadores com mercado não tem os passes de nenhum completos.

Eu estou a escrever isto e acho inacreditável toda a histeria que se vive no mundo Benfiquista. Eu vejo o estado calamitoso dos nossos adversários e aparecem umas almas a dizer que eles é que estão bem e ficam indignados porque investimos no Seixal, num colégio e num centro de alto rendimento em vez de um central ou de um lateral. É assim tão errado investir em algo que nos vai dar vantagem nos próximos anos na obtenção de miúdos e atletas que estiverem a ser disputados por vários clubes?

De repente com 2 meses de época tudo é posto em causa. Parece que é a primeira vez que nos últimos 4 anos estivemos a 5 pontos da liderança. Parece que estamos em Abril e não no inicio de Outubro. Eu gosto de exigência mas o que é demais é demais e chega-se a uma altura em que em vez de estarmos a ser exigentes estamos a ser idiotas.

Era bom Todos começarem a pensar que temos um Penta para conquistar. E ele não se conquista insultando os jogadores, o treinador e os dirigentes que nos permitiram estar a lutar por ele. Sem a união, vitórias como aquela no Bessa e em Coimbra em 2015/2016 ou em Vila do Conde nas 2 últimas épocas não tinham acontecido. Pensem nisso.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Desilusão

É este o sentimento que se apoderou de mim nos últimos dias. Podem pensar que é da equipa, do treinador, dos dirigentes ou de qualquer outra pessoa que trabalha no Benfica. Mas não. Estou desiludido com os Benfiquistas nos quais me incluo. Estou desiludido pela facilidade com que 2 directores de comunicação conseguiram pôr em prática um plano tão simples.

Em termos de arbitragem fizeram o que costumam fazer. Gritaram que o Benfica era o grande beneficiado. Todos os jogos nas primeiras jornadas encontraram erros a favorecer o Benfica. Nessas semanas nunca se falou dos grandes jogos que o Benfica fez. Na Supertaça foi o primeiro golo que era precedido de uma falta. Na primeira jornada foi um golo anulado ao Braga. Na terceira jornada foi o Eliseu. Do futebol que estávamos a praticar nunca se falou.

Mas o plano não se ficou por aqui. Desde o final da época passada começou a haver uma quantidade de comentários anónimos em fóruns e blogues Benfiquistas sempre com o mesmo discurso. As vendas, o passivo que não desce (mesmo sem o relatório de contas ter saído), a defesa, o número 8, o guarda-redes, o Mitroglou, etc, etc.

Eu digo que até achei patética essa estratégia, mas eis que de repente, após 4 jogos em que praticamos um grande futebol, empatamos um jogo em Vila do Conde. Bastou isso. Um empate para todo aquele burburinho criado com antecedência dar frutos, e tudo e todos serem postos em causa. Desde aí a equipa joga sobre brasas. No jogo seguinte com o Portimonense a equipa já era assobiada no seu próprio estádio e a partir daí foi uma bola de neve.

E depois olhamos para os planteis e eu penso. Mas somos mesmo pior que os outros? Um frango do Varela é pior do que um do Casillas? André Almeida é pior que Piccini? Porque é que se fazem contagens dos jogos em que Grimaldo ficou de fora desde que está no Benfica (mesmo a primeira meia época em que ficou de fora por opção) e não se contam os de Coentrão no mesmo período? Por que é que a idade do Luisão incomoda e a de Mathieu não? Ter Fejsa, Samaris e Filipe Augusto não é melhor do que Danilo e mais ninguém ou William e mais ninguém? Pizzi é pior que Battaglia ou Oliver? E se nenhum destes 3 poder jogar, Porto e Sporting têm alternativas mais válidas do que o Benfica para os substituir? Ter 4 ou 5 extremos de qualidade é pior do que ter 2 de qualidade e não ter ninguém para os substituir como acontece com o Porto e Sporting? Ou ter 4 avançados de qualidade é pior do que ter apenas 2/3 como os outros?

Mas mesmo para os que não pensam como eu tenho uma novidade. Até 1 de Janeiro o mercado não volta a abrir e são estes que temos de segurar. São estes que não podemos deixar cair.

Quem está a ser fraco no meio disto tudo não são os jogadores, treinadores ou dirigentes. Quem está a ser fraco e comido de cebolada somos nós que não paramos de aumentar o ruído em torno da equipa. Somos nós que estamos a fazer de uma equipa vencedora, uma equipa que duvida de si própria, enquanto outros sem títulos nos últimos anos jogam tranquilos e sem qualquer pressão.

Eles não vão ganhar sempre, bem pelo contrário. Os problemas mais cedo ou mais tarde vão aparecer. Nós temos é que estar em posição de aproveitarmos esses momentos maus que eles vão ter. Mas para isso temos de voltar a ser Benfica. E para voltarmos a ser Benfica temos de olhar para o nosso símbolo, ler o lema que lá está inscrito e colocá-lo em prática.

E PLURIBUS UNUM

domingo, 17 de setembro de 2017

Inicio de um novo ciclo

Eu percebo o descontentamento dos adeptos. O Benfica vem de 4 campeonatos consecutivos, com raros percalços e habituados a bom futebol. Quando isso não acontece e principalmente numa equipa que vem habituando assim os adeptos a exigência é irracional.

Há 2 anos atrás o Benfica tinha iniciado um novo ciclo. Sem Jesus e com a saída de alguns jogadores como Maxi e Lima a juntar a outras saídas antes dessa época como foram Oblak, Garay, Siqueira, Enzo Perez, Rodrigo e André Gomes.

Tal como hoje, os problemas eram mais do que muitos e ninguém via o plantel com capacidade para lutar pelo titulo. Dizia-se que eram Gaitan, Jonas e pouco mais. Nesse inicio de época foram lançados Nelson Semedo e Gonçalo Guedes, André Almeida jogava como médio mais defensivo, Silvio foi titular na direita quando Nelson Semedo se lesionou, Eliseu era a única opção para a esquerda e Pizzi e Talisca iam disputando a posição 8. Rezavam-se a todos os santos para não se lesionar nenhum central porque a 4ª escolha era Lindelof e o guarda-redes porque a 2ª era Ederson. Pois bem. No final dessa época batemos o record de pontos conquistados e todos achavam que com um pouco de sorte podíamos ter ido além dos quartos de final da Champions.

Passados 2 anos venderam-se Ederson, Nelson Semedo, Lindelof, Renato Sanches, Gaitan, Gonçalo Guedes e Mitroglou e para os voltar a substituir como estes substituíram os anteriores é necessário tempo. Já chega da conversa que devíamos ter contratados jogadores para suprir a ausência dos que saíram. O Benfica não ia arranjar um lateral por 7 ou 8 milhões igual a Nelson Semedo. Se existisse o Barcelona ia antes buscar esse lateral. Com Ederson a mesma coisa.

Eu não estou a dizer com isto que tudo se vai repetir. Também me preocupa que neste tempo possamos perder o comboio. Preocupa-me que se refira vezes demais sermos tetra campeões. Preocupa-me que a mudança de chip que Rui Vitória pediu no final da época passada não se esteja a verificar esta época. Preocupa-me a atitude da equipa quando se apanha em vantagem e sobretudo preocupa-me a forma física dos jogadores.

Entrámos com tudo no campeonato e com um grande futebol. Bastou chegar há quarta jornada para começarem novamente as lesões musculares em catadupa. Se quase todos os jogos se lesiona alguém fica difícil. E se após uma paragem para selecções a equipa aparece da forma que apareceu é sinal que algo não foi bem feito.

Outra coisa que eu sempre defendi aqui, era que o Benfica devia responder aos supostos benefícios de arbitragem que nos eram atribuídos e aos prejuízos que são constantemente escondidos pela comunicação social. Mas entrar numa guerra de palavras com outro clube acho que já não é benéfico para nós.

domingo, 10 de setembro de 2017

O Benfica continua a mandar nisto tudo

Já se sabia que isto ia acontecer. Bastou o Benfica não perder 2 pontos devido a uma boa decisão do video-árbitro para as quengas de serviço atacarem. O conselho de arbitragem e Fábio Verissimo, com o rabinho entre as pernas, lá foram forçados a explicar uma boa decisão. Até o audio do VAR apareceu. Pena que não tenha aparecido o audio neste jogo.

Aproveitando a boleia Artur Soares Dias também podia vir explicar porque é que decidiu de forma diferente nos 2 lances seguintes. Creio que seria pedagógico.

Na 4ª jornada Abel decidiu poupar Jefferson e Esgaio no jogo contra o Porto. Na 5ª jornada Matheus Pereira não jogou contra o Porto por castigo. Na 6ª jornada é Francisco Geraldes que não vai poder defrontar o Porto por castigo. Faz parte da aliança?

A expulsão de Francisco Geraldes foi através do VAR, que era Bruno Paixão. Parece que o condicionamento a que tem sido sujeito anda a fazer maravilhas nas últimas épocas. Também seria pedagógico Bruno Paixão explicar porque é que apenas deu amarelo a Coates há duas épocas atrás num lance em Moreira de Cónegos e ontem já aconselhou o vermelho.

Montella diz que tem lido que André piscinas é um flop. Ou o rascord anda desatento ou a caça a Renato Sanches, Lindelof, Gonçalo Guedes e afins tem mesmo a ver com o clube de onde saíram.

Nelson Semedo está a ganhar mais facilmente um lugar a titular no Barcelona do que na selecção nacional. Dá que pensar se atendermos ao facto de que nem 3ª escolha foi para Fernando Santos na última convocatória.

Para terminar se Fábio Verissimo ainda tiver um tempito que explique também estes lances:





sábado, 9 de setembro de 2017

ALELUIA

E passados mais de 900 dias o Benfica voltou a jogar em superioridade numérica para o campeonato. Um recorde que deverá ser difícil de alguém bater nos próximos anos. E um recorde que passou sempre despercebido numa comunicação social sempre atenta a qualquer estatística que passe a ideia de favorecimento ao Benfica.

Novamente aconteceu o que eu já aqui falei. Podem existir 10 lances evidentes num jogo a prejudicar o Benfica que a comunicação vai falar apenas dos lances favoráveis ao Benfica mesmo que bem assinalados. Ontem num rápido zapping após o jogo lá estavam o penalty favorável ao Benfica e o golo bem anulado ao Portimonense a serem repetidos ad nauseam.

Do que não se falou foi dos 3 lances que noutros campos eram considerados penalties indiscutíveis. Um abalroamento a Pizzi e um puxão a Cervi ainda na primeira parte, e um salto sobre Luisão já na segunda. As jogadas de maior perigo do Portimonense nasciam invariavelmente de faltas claras que não eram assinaladas e que acabavam em contra-ataques perigosos, sendo o golo uma delas. Já perto do fim ainda ficou um jogador já amarelado do Portimonense por expulsar devido ao corte com o braço de uma jogada perigosa.

Indo ao jogo não existe muito a destacar. A exibição foi muito pobre e até mesmo os magos Jonas e Pizzi estiveram desastrados. Apenas se salvaram os quase 20 minutos entre o empate e o segundo golo. Depois voltou a inexplicável tremedeira na parte final. Mas quero realçar alguns pontos.

Temos um défice muito acentuado de técnica a nível dos centrais. Nenhum deles, a não ser Ruben Dias, tem qualidade para sair a jogar. Não é por acaso que Vitória para tentar ganhar o jogo preferiu recuar Samaris para central e Zivkovic para defesa esquerdo. Porque nenhum jogador conseguia sair a jogar na defesa. Para mim ou Ruben Dias começa a ser lançado ou então tem de se explorar esta solução de Samaris.

No meio-campo parece que continuamos a cometer um erro que nos custou muitos pontos na época passada. Esteja mal ou esteja bem Pizzi joga sempre. Na época passada perdemos na Madeira e empatamos em Paços de Ferreira porque Pizzi estava condicionado com amarelos e arredava-se dos adversários. Aí ficaram 5 pontos. Depois na derrota em Setúbal Pizzi andou em campo lesionado e voaram mais 3 pontos.

Ontem novamente o mesmo. Pizzi nem a 50% estava e mesmo assim jogou os 90 minutos. Vale mais um jogador de menor qualidade mas a 100% por cento do que um bom a 50%. E Rui Vitória tem de começar a ganhar coragem para deixar Pizzi no banco quando ele não está bem fisicamente.

Quanto ao resto foram 3 pontos que para mim parecem valer mais do que isso. É nestes jogos onde tudo sai mal, e mesmo assim vencemos, que se ganham os campeonatos. É que nos jogos onde tudo sai bem ganha-se sempre. Quando sai mal é que isso já não acontece com tanta frequência. Para além disso é recorrente estes jogos fracos antes e depois da Champions.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Não olham a meios para atingir os fins

Foi capitão de equipa, campeão europeu, jogou mais de 1 década no Sporting e foi um dos seus melhores jogadores nos últimos anos. Foi-lhe prometida a saída vezes sem conta e mesmo assim continuou a demonstrar profissionalismo. A meio da época passada quando o Sporting já estava afastado de todas as competições foi apontado, juntamente com William, um dos principais culpados da época falhada (quem não se lembra da rábula em Chaves).

Como se não bastasse tudo o que já lhe tinham feito, ainda fizeram pior na hora da saída. Armado em negociador implacável BC fez atrasar as negociações nos últimos minutos e a inscrição não foi feita a tempo. Depois disto e já a contar com o dinheiro nos bolsos já sacudiu a água do capote. "A transferência está feita", diz ele, e ainda acrescenta, "espero que eles resolvam a situação".

Adrien vai ficar parado 4 meses e nos restantes 5 meses da época vai ter de tentar ganhar um lugar na sua nova equipa para conseguir ir ao Mundial. Para BC isso é problema dos outros. O que interessa é o dinheirinho que ele tanto apregoa não faltar.

Esta foi das piores atitudes que eu já vi para com um jogador de futebol, ainda para mais sendo capitão e já uma figura do clube. Mas mais impressionado fico quando olho para a comunicação social e não se ouve ou lê uma palavra de reprovação ao que foi feito ao jogador.

Ainda me lembro de todo um espectáculo que foi montado na época passada em torno de Luisão. Nessa altura foi feito do Benfica e dos seus dirigentes uns monstros por supostamente o quererem vender a um clube sem expressão. O que é certo é que Luisão ficou, e cada marco atingido pelo capitão (500 jogos e 19 titulos) teve uma homenagem condizente com os seus feitos. 

William é outro. Cada vez ganha mais força a ideia de que o Sporting recebeu uma proposta que chegou ao valor que tinha de ser aceite ou o jogador indemnizado. A pressa do Sporting em desmentir qualquer proposta e esta guerra com o West Ham só vem demonstrar que o Sporting tem alguma coisa a esconder. E não duvido que se não houver nada escrito ou válido para provar essa proposta, o Sporting não vai honrar o compromisso com o seu jogador. 

Para abafar o que aconteceu com Adrien e William nesta pré-época continua o desvio de atenções. Agora é um empresário que apareceu do nada a fazer guerra ao Benfica e a meter-se na gestão do clube.

Hoje acusou o Benfica de não ter transmitido uma proposta a Mitroglou em Fevereiro. Para mim é uma novidade o Benfica ter de transmitir algo ao jogador se a clausula de rescisão ia ser batida. Nesse caso só eles é que precisavam de falar com o jogador e meter o dinheiro na conta do Benfica. Outro pormenor engraçado é ameaçar o Benfica com a gravação de uma reunião em que se está a negociar um jogador. Se realmente anda a fazer gravações das negociações que intermedeia vai começar a sentir dificuldades em o levarem a sério.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

O negociador implacável do Lumiar

Mais um mercado de transferências e mais uma vez o negociador implacável do Lumiar armou-se em chico esperto e a coisa deu para o torto.

De 2 vendas previstas fez 1 e já depois do fecho do mercado. Tanto William como Adrien já tinham as saídas prometidas há bastante tempo. No caso de William, BC forçou demais e quando quis voltar atrás foi tarde. No caso de Adrien ainda devem ter jogado com o negócio de Drinkwater para sacar mais alguns milhões mas a coisa descontrolou-se e foi para lá do tempo.

Mas vamos por partes. William ao que parece tem uma cláusula em que tem de ser indemnizado caso chegue uma proposta ao Sporting por um certo valor e ela não seja aceite. Tendo em conta os esforços feitos por Bruno Carvalho e Nuno Saraiva no dia seguinte ao fecho do mercado em fazer acreditar que nenhuma proposta chegou ao Sporting, fica bom de ver que se calhar houve uma proposta nesse valor. Já para não falar que mais uma vez faltaram com a palavra ao jogador.

O caso de Adrien é ainda pior. Forçaram tanto que o negócio fez-se depois da hora e se a FIFA fizer o que tem feito nestes casos, Adrien vai ficar parado durante meia época. Ou seja, o retorno do Sporting ao que o capitão de equipa deu ao clube durante muitos anos foi colocá-lo em risco de ficar parado uns meses e como consequência não conseguir entrar na equipa na outra metade da época e falhar o Mundial.

Cada vez que me lembro das acusações ao Benfica de maltratar o seu capitão na pré-temporada do ano passado até dá para rir comparado com o silêncio da mesma comunicação social neste caso.

Algo misterioso nisto tudo são os valores da transferência. O rascord afirma que são 29 milhões, a bolha diz que são 25 e na tarde do dia 31 falava-se de 15 milhões em Inglaterra. Tal como no caso de Ruben Neves (temos de acreditar no valor que onojo colocou a circular) a CMVM continua impávida e serena.

Outro pormenor engraçado é como a comunicação social fala dos valores das transferências. Se forem milhões por objectivos de um jogador do Benfica é como se nunca os fossemos receber. Se for no caso do Sporting ou Porto são milhões pela certa.

P. S. - Fico feliz pela lavagem cerebral que se efectua em Portugal contra o Benfica, e com resultados cada vez mais visiveis, não faça escola fora do país. Parece que em Inglaterra é possível uma criança ir a um estádio com a camisola do Benfica e ainda receber uma luva de José Mourinho.

sábado, 2 de setembro de 2017

Balanço final e a histeria instalada.

Acabou mais uma época de transferências e mais uma vez está instalado o pânico. Começa a ser um clássico esta histeria Benfiquista após o dia 31 de Agosto.

Em termos globais acho que estamos melhor do que na época passada. A espinha dorsal mantém-se e essa é a grande vantagem dos últimos anos. Júlio César, André Almeida, Luisão, Jardel, Eliseu, Fejsa, Samaris, Pizzi, Sálvio e Jonas já jogam de olhos fechados. Grimaldo, Cervi, Rafa, Zivkovic, Jimenez e Filipe Augusto têm mais um ano e com isso mais entrosamento com os anteriores. Seferovic foi um achado e ainda foram adicionados jogadores jovens como Svilar, Varela, Ruben Dias, Kalaica, Krovinovic, Chrien, Willock, Diogo Gonçalves, João Carvalho e Gabriel.

Muitos queriam um Ederson, um Nélson Semedo, 2 Lindelofs, outro Pizzi e por aí fora. Mas isso actualmente vale mais de 100 milhões de euros. Para ter jogadores do mesmo calibre é necessário esperar que estes jovens façam jogos e cresçam como cresceram os anteriores.

Ainda assim preocupam-me 2 posições.

Em primeiro lugar o lateral-direito. Ao contrário do que dizem o Benfica preparou atempadamente a saída de Nelson Semedo. Acho que todos reconhecem valor a Pedro Pereira mas ninguém prevê que um jogador vá acusar o peso da camisola como ele o fez. Quanto a Douglas temo que continue com lesões. Quanto à qualidade, os números da época passada demonstram que pelo menos a tem ofensivamente. Marcar 3 golos e fazer 2 assistências numa equipa pequena de Espanha em cerca de 20 jogos parece-me um bom sinal. A juntar a isso a fúria com que a comunicação social "bateu" no rapaz deixam-me com algumas esperanças.

O outro lugar preocupante é o de defesa central. E não me preocupa pela saída de Lindelof. Para o seu lugar está Ruben Dias e quando a oportunidade lhe surgir acho que a vai agarrar. O que me preocupa é Jardel ter entrado numa espiral de lesões e Lisandro Lopez continuar com os mesmos problemas de posicionamento de sempre. Lisandro tem tudo para ser um grande central. É rápido, bom no desarme e é bom a cabecear. Infelizmente está sempre nervoso e desconcentrado dentro de campo. Joga tudo com o coração e zero com a cabeça. E sinceramente, se aos 28 anos ainda não conseguiu melhorar mentalmente não me parece que o vá conseguir daqui para a frente. 

Na esquerda da defesa, no meio-campo e nos extremos mantém-se tudo na mesma. Existem alguns jovens como segundas opções e que podem ser boas surpresas.

Quanto ao resto estou maravilhado com a frente de ataque. Gosto muito de Mitroglou. Foi bastante importante nos últimos 2 anos e tenho pena que tenha saído. Mas o que temos agora é um ataque de outro nível. Um ataque ao nível das melhores equipas europeias.

Não sei se o Benfica tem o melhor plantel dos 3 grandes ou não. O Sporting tem ganho sempre esse titulo. Este ano não fugiu à regra. O problema é que os planteis apenas se vêm se são bons quando as segundas escolhas têm de entrar e mostrar serviço. Vamos ver quem vai responder melhor nesses momentos. 

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Os Eliseus










Estes foram alguns mimos que os jogadores do Benfica receberam na época passada (faltam aqui muitos outros). Foram pitons nos pés, tornozelos, canelas, barriga, etc. Não vi nenhuma caça aos prevaricadores em cima. Ninguém foi expulso e alguns destes lances nem análises mereceram. Eu continuo a dizer que o Benfica tem de lutar contra o estado em que se encontra a comunicação social. 

Desta forma as arbitragens vão ser cada vez piores porque os árbitros vão-se proteger. Hoje se existe um lance duvidoso a favor do Benfica é tratado como escândalo nacional e o árbitro é trucidado. Já se for contra o Benfica ninguém comenta. Não é por acaso que o Benfica não joga em superioridade numérica para o campeonato desde a 25ª jornada de 2014/2015!!!

Rui Santos voltou a mostrar a pessoa pequenina que é. Uma marioneta. Um hipócrita que passou a sua vida de jornalista a apregoar uma verdade desportiva que consiste em os árbitros prejudicarem o Benfica. Para ele fica aqui uma compilação de alguns lances do seu Sporting na época 2015/2016. Nessa altura não ficava tão nervoso...

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Podemos ouvir o áudio do VAR?

Tal como eu previra o pénalti marcado em Alvalade iria ser considerado como bem assinalado apenas durante uns dias. No jogo de ontem um lance sobre Jonas, bem mais evidente pois foi o jogador do Chaves que foi de encontro a Jonas e não o contrário, já ninguém achou que era pénalti. Ninguém quis sequer saber. Ex-árbitros, comentadores e afins já não viram nada.

Mas mais preocupante foi outro pénalti que ficou por assinalar sobre Jonas.


Depois disto exige-se que seja público o áudio do VAR neste lance. É inacreditável que isto não tenha sido assinalado com imagens tão evidentes. E mais uma vez na comunicação social tudo isto é abafado.

E já não vou falar do critério disciplinar de Jorge Sousa...

O Benfica tem de começar a lutar contra isto. Está instalada em portugal uma verdade desportiva que consiste em prejudicar o Benfica. Em TODOS os jogos são distorcidos os factos. Podem existir 10 lances mal ajuizados contra o Benfica num jogo que a comunicação social vai apenas buscar um bem ajuizado a favor do Benfica e transformá-lo em beneficio.

Outra coisa inacreditável é os adeptos Benfiquistas não conseguirem entrar numa bancada com adereços do Benfica. Os charlies continuam calados com esta VERGONHA perpretada com uma frequência assustadora num país que se diz livre.

Continua em marcha a lavagem cerebral em torno do desporto em Portugal. E é preciso começar a combater isso caso contrário um dia destes vemos um árbitro a meter uma bola dentro da baliza do Benfica e toda a gente a bater palmas. Acreditem que já faltou muito mais.

sábado, 12 de agosto de 2017

Um futebol feito para sapos.

Não sei se já repararam mas o futebol está a mudar em Portugal. Tudo é ajustado à medida de 2 clube. Se veste de vermelho é uma coisa mas se veste de verde ou azul já é outra.

Após o Benfica vs Braga onde ficou um pénalti por assinalar a favor do Benfica e ainda um jogador do Braga por expulsar, falou-se apenas de um golo BEM anulado. Inventaram-se linhas, escolheram-se frames onde o jogador que passa a bola ainda está com o pé no ar, e por aí fora. Tudo para tentar provar que o Benfica foi beneficiado.

Pelo meio no jogo do Porto nem se discutiu uma mão de Danilo dentro da área que no seguimento iria dar no 1-0. Na época passada, um lance semelhante de Pizzi no derby da Luz, serviu para explicar todos os insucessos do Sporting. Deu para meses de conversa. Chamaram-se árbitros internacionais, pediram explicações à UEFA, etc.

Hoje quiseram-me fazer acreditar que isto foi um pénalti bem assinalado.


A partir de hoje todos os adversários do Sporting ficaram a saber que se um jogador do Sporting estiver a ir contra eles dentro de área, têm-se de desviar caso contrário é pénalti.

Agora imaginem que era o Benfica que estava em campo, que era Jonas que dava este mergulho e que era Bruno Paixão a marcar o pénalti que daria a vitória ao Benfica aos 86 minutos. Alguém acredita que ia aparecer o resultado do jogo sem "golo polémico" ou "pénalti inexistente"? Alguém acredita que se falaria de outra coisa no resto da semana que não fosse esse pénalti?

É esta a verdade desportiva que se quer implementar em Portugal. Uma autêntica lavagem cerebral onde até as regras do futebol já são secundárias. Aconteça o que acontecer o Benfica é sempre apontado como beneficiado e Sporting e Porto como prejudicados.

P.S. - O que dizer da postura de Abel após o Benfica vs Braga e a de José Couceiro (candidato a presidente do Sporting) após o Sporting vs Setúbal?

domingo, 6 de agosto de 2017

Em resumo...

Pizzi redigiu a cartilha e enviou-a num email para para Jonas, Seferovic e Jimenez.

Mais uma vez ficou evidente que o video árbitro apenas vai mudar as coisas para um video roubo. Artur Soares Dias é um dos mestres a inclinar campos. Só 2 exemplos ainda na primeira parte. Um livre perigoso marcado contra o Benfica por suposta falta de Pizzi que até tinha acabado de ser abalroado por um adversários (e se desse em golo?). O segundo numa falta assinalada a Seferovic que tinha fugido a um adversário e ficava numa situação de 2 jogadores do Benfica contra 1 do Vitória. Nunca vamos saber se daria golo.

Quanto ao resto a frente de ataque do Benfica é demolidora. Quanto a mim até permite que em jogos de maior dificuldade, seja possível ter Fejsa e Pizzi no meio sem desequilibrar a equipa. Na defesa é que continuam os problemas. É preciso decidir se se deixa crescer os que estão (Varela, Buta, Ruben Dias e Kalaica) ou se são contratados alguns jogadores. Não foi há muito tempo que ficámos todos de mãos na cabeça quando Ederson ou Lindelof tiveram de ser lançados às feras. Quanto a mim não é por aí que está o problema. O problema está em vender sempre estes jogadores que dão nas vistas e pensar que Júlio César, Luisão ou Jardel lá vão estar sempre para integrar os novos.

Mais concretamente de Varela apenas lhe posso apontar 1 erro numa bola defendida para a frente num remate fora de área. Quanto ao golo não me parece que tenha sido culpa sua. Em slow motion é fácil culpá-lo mas o lance foi muito rápido.

Agora é descansar porque quarta-feira começa o caminho em busca do penta.

sábado, 29 de julho de 2017

Mais uma semana no futebol português

Está imparável a equipa de Sérgio Conceição. Com um futebol de encantar trucida qualquer equipa que lhe apareça pela frente. Depois dos empates prometedores contra Chivas e Cruz Azul apareceram as retumbantes vitórias contra Guimarães e Portimonense. É com pré-épocas destas, a jogar contra equipas de alto calibre, que se ganha ritmo para a Champions.

No meio disto tudo o Sporting enfrenta uma pré-época atipica. Apesar das contratações cirurgicas o titulo parece que desta vez lhes vai fugir. No entanto não é nada que mais 2 ou 3 contratações sonantes (se tiverem passado pelo Benfica melhor) mesmo antes do fecho do mercado não resolvam. Se o fizerem a pole position e a medalha de ouro no record a 1 de Setembro estará assegurada.

Um dos entretenimentos da comunicação social neste defeso tem sido fazer crer que do Benfica só saem barretes. Qualquer ex-jogador do Benfica que espirre faz logo noticia. Ederson, Lindelof, Renato Sanches, Gonçalo Guedes, André Gomes e o arruaceiro Nelson Semedo. Todos são flops. Manchester City, Manchester United, Bayern Munique e Barcelona só têm gente incompetente a avaliar jogadores.

Já os craques das academias alugadas de Alcochete e Olivais fazem furor por essa Europa fora. João Mário, Ruben Semedo, Cédric, André Silva, Diogo Jota ou Ruben Neves. Um naipe de jogadores extraordinários em equipas dominadoras dos seus países como são o Inter(7º), Vilarreal(5º), Southampton(8º), Milan(6º), Wolverampton(?). Tão extraordinários que nalguns casos nem a CMVM quer saber por quanto saíram. Na temporada que passou apenas perderam para os ex jogadores do Benfica no pormenor dos títulos.

Ederson(3) + Lindelof(3) + Renato Sanches(2) + Gonçalo Guedes(5) + André Gomes(2) + Nelson Semedo(3) = 18

João Mário(0) + Ruben Semedo(0) + Cedric(0) + André Silva(0) + Diogo Jota(0) + Ruben Neves(0) = 0

Já são conhecidos alguns empréstimos dos grandes. Graças à decisão pedagógica da Liga em absolver o Sporting no caso dos jogadores retirados ao Setúbal a meio da época passada, clubes como o Aves, Chaves, Braga, Boavista ou Rio Ave sabem que não podem ganhar ao Sporting antes do dia 1 de Fevereiro se querem manter os jogadores emprestados até ao final da época. Verdade Desportiva no seu estado mais puro.

Quase no esquecimento estava este caso do túnel de alvalade...



Finalmente o caso saiu do baú da Liga. Liga que é presidida por um homem que Bruno Carvalho se vangloria de lá ter colocado, e que relata este caso desta forma peculiar:

"o presidente do sporting expeliu pontualmente uma pequena parte do fumo inspirado em direcção à cara do presidente do Arouca, através de um cigarro electrónico, num momento em que se encontravam em contacto um com outro e, consequentemente, com a cara muito próxima uma da outra"

Quanto ao maroto Pinho pode apanhar no minimo 20 meses de suspenção por ter insultado Bruno Carvalho. Bruno Carvalho, que no famoso caso do "badamerda para quem não é do Sporting" foi absolvido através desta explicação:

"O CD considera que a declaração tem de ser contextualizada e que foi dirigida a alguns comentadores desportivos."

Ora lá está. Bruno de Carvalho não insultou milhões de pessoas. Apenas alguns jornalistas, provavelmente daqueles que não vão a entrevistas "controladas". Logo o insulto já não tem efeito.

Bruno Carvalho diz ao mundo que coloca e tira pessoas dos lugares que quer. E eu diria que isso tem sido visivel. Parece que só ainda não manda na Grécia como se pode ver por aqui.

Para manter a sanidade vamos ouvir estes suspeitos Benfiquistas espanhois.

sábado, 15 de julho de 2017

Pequenas considerações sobre silly season 2017

Este defeso tem sido pródigo em acontecimentos. Vou passar um olhar sobre alguns dos temas mais badalados.

Carlos Queiroz afirmou que Liedson acusou doping.

Saiu um artigo no Expresso sobre o Benfica.

Hélio Gomes, atleta do Sporting, foi apanhado com doping.

Saiu outro artigo no Expresso sobre o Benfica.

Bruno Carvalho afirma que meteu Proença na Liga e a Liga arranjou umas condicionantes no sorteio especialmente para o Sporting. Veredicto da comunicação social. Bruno Carvalho foi vitima de um jornalista.

Foi roubado ao Benfica toda a troca de emails e documentação dos últimos anos. Veredicto da comunicação social. O Benfica manda nisto tudo.

Ficámos a saber que a cartilha de 4 ou 5 comentadores fazem mais comichão do que a cartilha de pelo menos 14 jornalistas.

Se não fosse a rábula de Sónia Carneiro, Proença ainda estava na lua de mel com Bruno Carvalho.

Discursos confragedores, sorrisos amarelos (priceless a cara de Jesus quando Bruno Carvalho prometeu o titulo), stand-up rasca, palavreado rasca e muito Benfica. Foi assim a puta da gala que para ter sido perfeita, só faltou mesmo Jesus dar porrada nos comediantes de serviço. Ficou-se por um: "baixa a bola".

Por essas televisões existiram alguns "xicos" espertos a comparar o caso dos emails com o apito dourado. Eu realmente só me lembro de uma diferença. Enquanto uns fugiram para Vigo avisados pela policia, os outros chamaram a policia para esclarecer a situação.

A transferência de Ruben Neves foi tão transparente que nem a CMVM ousou perguntar pelos valores envolvidos.

Já intervencionado, o Porto precisava de fazer 100 milhões até ao final de Junho. Tendo em conta a calmaria na comunicação social ninguém diria.

110 milhões que o Benfica já recebeu neste defeso. Depois de anos a fio a receber mendilhões finalmente com as vendas de André Silva e Ruben Neves passamos a receber dinheiro de verdade.

Depois dos delegados da liga, proibidos de ir aos estádios, agora foram 3 deputados constituidos arguidos por terem aceite convites para ir a França ver jogos do Europeu. Manuel Oliveira já estava a tremer. E se o Expresso não escrever um artigo sobre o Benfica entretanto, ainda chateiam o Dr Macaco e o Mustafa.

Meirim pediu celeridade no caso dos emails. Se for a mesma com que ele resolve casos de cuspidelas ainda vamos ver primeiro o Rui Patricio num grande clube Europeu.

O Benfica propôs uma lei para relembrar Meirim que um dirigente andou pelos tuneis a aplicar cuspidelas. Do lembrete a comunicação social retirou a conclusão que o Benfica manda nisto tudo.

Com os jogos de pré-época tornou-se ainda mais evidente as boas relações entre Jesus e Bruno de Carvalho. Jesus levou os seus 15 jogadores para estágio e o Brunocas mandou os outros (aqueles que andam a fazer pré-época há 6 meses). Com 2 jogos no espaço de 22 horas jogaram os 15 de Jesus.

Foi com muita tristeza que os benfiquistas viram partir Nélson Semedo. Mas ninguém estará mais triste do que Cédric.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Benfiquização do futebol português - Fernando Gomes

Após emails divulgados em que elementos da federação pediram bilhetes para jogos do Benfica, Fernando Gomes veio logo a terreno e vetou a ida desses elementos aos estádios.

Não deixa de ser irónico Fernando Gomes tomar esta posição. Ele que nos tempos do apito dourado era quem arranjava os bilhetes para as prostitutas que eram oferecidas aos árbitros.


Já agora perguntem a Fernando Gomes se isto também é para árbitros ou se Manuel Oliveira pode continuar a frequentar a zona VIP do estádio do dragão.



Não existem dúvidas que em Fernando Gomes manda o Benfica.

domingo, 9 de julho de 2017

Benfiquização do futebol português - João Pinheiro vs Sónia Carneiro

Em março, após João Pinheiro ser designado para um cargo na Comissão Arbitral da Liga, apareceram em blogues e jornais desportivos comentários seus que demonstravam ser benfiquista.




Ontem ficámos a saber que a directora executiva da Liga faltou ao respeito ao Benfica e à selecção nacional nas redes sociais.



E o que fez Proença? O mesmo que fez com João Pinheiro? Não. Elaborou um comunicado extenso onde se lêm coisas como:

"as diversas simpatias e afetos clubísticos do presidente e dos diretores executivos, apesar de conhecidas, ou reveladas, em vários momentos das suas vidas profissionais não são obstáculo para o cumprimento digno, profissional, rigoroso e isento"

"O que antigamente era discussão alegre e divertida entre amigos de ‘cores diferentes’, no café ou nas redes sociais ao alcance do Mundo, hoje se transformou numa moderna ‘caça às bruxas’."


Não existem dúvidas que na Liga manda o Benfica.

terça-feira, 13 de junho de 2017

A comunicação social bateu no fundo

Nos tempos que correm crimes como o obtenção ilegal de correspondência privada é algo corriqueiro. Através deste método ficámos por exemplo a saber da famosa cartilha. Alguns comentadores do Benfica receberem informação pertinente para ser levada a discussão nos programas desportivos foi considerado quase como um crime. Do verdadeiro crime da obtenção desses emails ninguém ficou chocado.

Na semana passada apareceu a gravação de uma entrevista de Bruno Carvalho realizada com 15(!!!) jornalistas de vários orgãos de comunicação social. E de entre um punhado de coisas bastante graves ditas na entrevista (umas que apenas dizem respeito aos sportinguistas, mas outras que dizem respeito ao futebol português) apenas se falou da falta de vergonha do individuo que tornou pública a entrevista.

Rato, ratazana, bufo e por aí fora, foram alguns mimos que colegas de profissão brindaram o único rapaz que realmente foi jornalista naquele encontro. Mas o que fez ele para ser tratado desta forma pelos seus colegas? Cometeu um crime? Não. Não foi ético? A isto eu deixo a pergunta. Quem é que tem mais ética? Um jornalista entre 15 que decide exercer a sua profissão e informar as pessoas, ou os 14 que foram lá ser tratados abaixo de cão, que calaram e ainda escreveram o que lhes mandaram?

Já agora, que nome é que se pode dar a um encontro entre jornalistas, um presidente de um clube e o seu director de comunicação em que apenas o que esse presidente quer é que é escrito? Será que podemos chamar isto de uma cartilha para jornalistas? Do Benfica são 5 ou 6 comentadores. Ali estavam 14 "je ne suis pas Charlie", e tendo em conta as reacções posteriores de mais de uma dezena de outros jornalistas contra o único "Charlie" daquele dia, estamos na presença de uma cartilha bem abrangente.

O mais recente caso são os emails trocados entre Pedro Guerra e um tal de Adão Mendes que quase ninguém sabe quem é. Nesses emails parece claro o contexto da conversa. Pedro Guerra parece aconselhar-se com este senhor sobre quais os árbitros que achava que deviam ser mencionados positiva ou negativamente no(s) programa(s) onde estava. Adão Mendes nas respostas disse coisas como:

"Sobre a arbitragem não temos de ser maezinhas (...sem corte...) mas usar a inteligência a nosso favor, criticando sempre, mas propondo soluções e não desabafos."

"Dizem os grandes sábios dos paineis que algo está a mudar. O porto já não manda mas... ainda não compreendem onde está o poder. (...sem corte...) O poder está no trabalho dia a dia, na busca da verdade e da seriedade e isso faz a diferença."

"Hoje quem nos prejudicar sabe que é punido."

"Temos hoje árbitros, que não sendo internacionais têm demonstrado melhores prestações que os internacionais. Entre os quais: (...sem vir directamente para aqui...) Jorge Ferreira, Nuno Almeida, ..."

Até Pedro Guerra nessa conversa em privado diz algo como:

"Se a minha postura e opiniões puderem contribuir, nem que seja de forma pifia, para um clima de paz e harmonia, acho que é este o caminho a seguir."

Parece mentira mas é verdade. Neste emails fala-se maioritariamente no Benfica abordar os árbitros de forma mais contida, elogiando-os e defendendo-os mais em vez de os criticar (quando vínhamos de 2 campeonatos roubados). Isto tudo foi transformado pela comunicação social em algo comparável com o apito dourado. Dizer que alguns árbitros têm tido melhores prestações, enumerando-os, torna-os benfiquistas. Dizer que alguém hoje é punido (ao contrário do que acontecia antigamente) quando prejudica o Benfica é crime. Estamos numa altura em que quando o Benfica não é prejudicado está a ser beneficiado.

Se fosse o presidente do Benfica a vangloriar-se que tinha corrido com o presidente da arbitragem e que tinha colocado alguém a presidir a Liga até se compreendia a suspeição de um apito dourado, mas assim... Eu sei que isto foi o que o presidente do Sporting afirmou naquela entrevista. Mas não se esqueçam que do conteúdo daquela entrevista não é para se falar. Nesse caso só se pode falar do senhor do gravador.

Para ainda dar mais azo a especulações lá apareceu novamente Marco Ferreira em directo num programa. Até parecia preparada a coisa... Este senhor já é um clássico. No ano passado veio dizer, indignado, que Vitor Pereira lhe tinha ligado antes de um jogo do Benfica a desejar-lhe que fizesse uma boa arbitragem para que pudesse ser opção para um clássico. No caso dos vouchers, quando se discutia se o seu valor monetário ultrapassava os limites da lei, lá apareceu ele novamente em directo num programa dizendo que até tinha recebido 2 num jogo porque este tinha sido adiado.

Esta semana lá estava ele com a lição bem estudada outra vez. Entrou logo de rompante a fazer um paralelismo entre emails e ele ter descido de categoria, dando enfâse ao Benfica ter perdido 2 jogos com ele a apitar nessa época. E foi aí que se percebeu a importância que tem um Pedro Guerra. Ia preparado e apenas lhe perguntou que enumerasse os jogos em que teve notas negativas e se algum tinha sido um jogo do Benfica. Bastou isso para ele perder toda a pujança com que tinha entrado no programa.

A quem critica Pedro Guerra eu questiono como é que não percebem a sua importâncias ou de Rui Gomes da Silva nos tempos que correm. Basta ver um dia o programa Play-Off da Sic Noticias para perceber. TODOS, MAS MESMOS TODOS os programas o nome do Sport Lisboa e Benfica sai manchado dali. TODAS as semanas são levantadas suspeições e ditas coisas como verdades absolutas sem qualquer defesa. Basta João Alves não concordar com um lance polémico e é engolido pelos 3, é enxovalhado, maltratado e por vezes mesmo insultado.

Voltando a Marco Ferreira achei curiosa a insistência dele em dizer que se aparecessem emails com criticas a arbitragens suas, ia achar que realmente existia uma ligação. Eu não sou bruxo mas diria que os próximos emails obtidos ilegalmente e que vão ser apresentados num canal pago por contribuintes, vão conter criticas a Marco Ferreira. Se assim for Marco Ferreira é que se calhar deve começar a ser um caso de policia.

P.S. De um antigo comunicado dos super dragões sobre Jorge Ferreira:


Afinal, para além de Pedro Guerra, alguém conhecia Adão Mendes.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Os principais criminosos vão pagar por isso?

Morreu um adepto. A questão nunca foi se ia acontecer. Era quando ia acontecer.

Há muito que Porto e Sporting, em conjunto, prepararam uma estratégia para tentar fechar o estádio da Luz e continuarem a manchar o nome do Benfica usando para esse fim as nossas claques.

Tudo começou com os super dragões e juve leo, que num jogo da selecção foram até ao estádio da Luz insultar o Benfica e os benfiquistas. Também no mesmo jogo Jaime Marta Soares fazendo-se de menino ingénuo decidiu ir para o meio dos adeptos para ouvir uns insultos e dizer que o queriam linchar.

O mote tinha sido dado e Porto e Sporting começaram a atacar as nossas claques por não estarem legalizadas (como se fizesse diferença). Continuaram a estratégia com os cânticos no Dragão Caixa a desejar a morte dos jogadores do Benfica. Mais tarde num dos pavilhões da Luz foram os adeptos do Sporting que puxaram do seu reportório sem fim de cânticos insultuosos contra o Benfica até obterem a resposta que queriam.

Os amigos da televisão e dos jornais deram-lhes o mediatismo que pretendiam. Quem os vê escandalizados hoje com os cânticos das claques parece que não andam à mais de 20 anos a ouvir semanalmente o cântico "slb, slb, filhos da puta slb".  Nalguns casos até elogiando o ambiente quando essa música invariavelmente se ouve.

E continuaram diariamente Nuno Saraiva e Francisco Marques, secundados por Bruno Carvalho e Pinto da Costa a meter lenha na fogueira, sabendo perfeitamente que estavam a mexer com pessoas que iam acabar por fazer porcaria.

Daqueles indivíduos que se juntaram ao pé do estádio da Luz tenho pena que não percebam que estão a ser usados como peões de uma estratégia. Mas é inadmissível que pessoas que sabem que foram as causadoras da morte de um adepto ainda se aproveitem dessa mesma morte para continuar a atacar outro clube.

Podem vir todos os jornalistas do mundo tentar juntar no mesmo saco o Presidente do Benfica com todas as personagens atrás, mas não o conseguem. Podem vir falar do Pedro Guerra e do Rui Gomes da Silva fazendo de conta que José Pina, Augusto Inácio, ou Bernardino Barros não são a mesma coisa. Ou esquecendo-se que pela televisão portuguesa já passaram Dias Ferreira, Pôncio Monteiro ou Eduardo Barroso. Na altura em que éramos comidos de cebolada nesses programas ninguém se preocupava com comentadores.

É melhor que comecem a castigar verdadeiramente esta gente rasca, sem escrúpulos e cobarde que usa malta desequilibrada das claques para obter o que querem. Que não olham a consequências para atingir os fins. Por vezes teve piada mas chegou a altura de terminar o circo em que transformaram o futebol português.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Não caiam na armadilha

Nos últimos tempos têm existido alvos bem definidos pela aliança dragarta. Na equipa do Benfica é Jonas o contemplado. No jogo com o Porto pegaram no choque com Nuno. No jogo com o Moreirense foram as supostas palavras a um jogador. Esta semana foi chamada a equipa de linguagem labial que decifrou insultos a um jogador do Maritimo.

O que querem é que Jonas perca a cabeça num jogo e acabe por agredir alguém. Espero que Jonas tenha sangue frio, que ignore as entradas que tem sofrido sem bola em quase todos os jogos e que responda com golos, assistências e bom futebol.

O outro alvo são as claques do Benfica. Os cânticos dos super dragões não foram por acaso. Porto e Sporting não andam a atacar a claque diariamente só porque sim. O que eles querem é acicatar a claque. Querem que os nossos adeptos respondam para que seja possível fechar o estádio da luz em algum destes últimos jogos.

Também eles espero que sejam inteligentes e que respondam única e exclusivamente com apoio aos jogadores.

Só nós interessamos nestes últimos 6 jogos. Temos agora a equipa quase na máxima força. Repetimos pela primeira vez um 11 e viu-se já o potencial que esta equipa pode atingir quando Grimaldo, Fejsa, Rafa e Jonas estiverem no máximo das suas capacidades.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Um país futebolístico que que se tornou num bordel

Começo por dizer que tanto Samaris como Luisão deveriam ter sido expulsos. Não tenho problemas em dizê-lo. Mas existe uma coisa que não aceito. Não aceito que a comunicação social transforme este jogo num roubo a favor do Benfica. Toda a gente que assistiu ao jogo percebeu bem que o que aconteceu foi exactamente o contrário.

O Hugo Gil já fez um pequeno resumo com muitas das entradas para amarelo dos jogadores do Moreirense que passaram impunes. Mas este jogo foi muito para além disso. Do início ao fim da partida Tiago Martins teve uma dualidade de critérios gritante. Foram mais de uma dezena de ataques e contra-ataques travados através de faltas que não foram assinaladas. Foram recuperações de bola limpas transformadas em faltas contra nós. 

Isto para não falar dos 2 amarelos ridículos mostrados a Ederson e Fejsa que demonstraram claramente que Tiago Martins estava ali com o propósito de travar o Benfica. O primeiro a Ederson por atrasar uma reposição de bola quando já tinham passado 15 segundos do tempo extra dado na primeira parte!!! A Fejsa por não ter feito nada e com o pormenor de ao mesmo tempo que apitava a falta o cartão já estar no ar.

Para quem não viu o jogo não tenho imagens para demonstrar o que afirmei atrás, mas acho que as estatísticas falam por si. 70% de posse de bola e mesmo assim foram assinaladas mais faltas contra nós e mostrados mais cartões aos nossos jogadores.


Agora as meretrizes do costume andam todas indignadas com os lances de Luisão e Samaris. Mas onde é que andava esta jornaleirada toda na semana passada quando Maxi tentou partir a perna de Cervi?


Onde é que andavam quando Corona apertou o pescoço a um jogador do Boavista ainda antes do intervalo do jogo no Bessa?


Para onde é que estavam viradas as cameras da Sportv no Porto vs Tondela quando Soares agrediu a soco um adversário e quase marcou golo de seguida? E porque é que mesmo analisada esta imagem e percebendo-se claramente que houve agressão ninguém pediu repetições do lance e sumaríssimo?


Samaris não devia ter feito o que fez. Mas fez o que a maioria de nós fazia depois de estar 90 minutos a ver os seus colegas levar porrada, e um palhacito de apito na boca a permitir tudo. Curiosamente antes desse lance apareceu Zivkovic no chão a queixar-se de algo numa jogada sem bola que mais uma vez não teve direito a imagens da Sportv. E percebeu-se que foi essa jogada que alterou Samaris.

Para precaver que outras coisas como estas aconteçam é bom que o Benfica comece a defender os seus jogadores. Já passaram mais de 2 épocas sem nenhum adversário do Benfica ser expulso antes dos 90 minutos. São dezenas de entradas como a de Maxi sem vermelho. Estes lances são uma banalidade, tal como é uma banalidade nenhum jornalista falar deles.

P.S. - Amanhã ou na próxima quinta-feira Samaris será castigado. Não vou tentar adivinhar ao certo quando vai ser ou o número de jogos que irá apanhar. Mas uma coisa é certa. Não vai poder ser opção para o derby.

P.S.2 - A disponibilidade física do Moreirense foi assustadora. Para além disso, a 10 minutos do fim, estarem todos os jogadores de pé no banco demonstra que muito dinheirinho estava em jogo. E sexta-feira será mais do mesmo.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Como as coisas são e como as fazem parecer

Já íamos em quase dois meses de superlativação azul e branca. Os adjectivos começavam a escassear para tanto poderio e futebol maravilha. Nuno é nos dias que correm um picasso que cria obras de arte não só nas conferências de imprensa como na disposição dos seus jogadores dentro de campo. O prémio Rui Santos com certeza já não lhe escapa.

O poderio da sua equipa tinha sido evidente nos oitavos de final da Liga dos Campeões. A Juventus ainda hoje não sabe como conseguiu eliminar este Porto. Não fosse o Bufão a desviar 2/3 bolas com os olhos durante os 180 minutos (não chegou a precisar das mãos) e o céu era o limite. E é preciso dizê-lo. Se não fossem os árbitros a aplicar as leis e talvez tivesse acontecido mais uma grande vitória à Porto.

Já o moribundo Benfica, que nada joga, vinha de uma derrota humilhante na Alemanha, onde apenas conseguiu discutir a eliminatória durante 150 dos 180 minutos, e tinha acabado de empatar na Mata Real. O título estava decidido. O foguetório foi intenso durante 22 horas, esmoreceu um pouco a seguir ao empate do Porto em casa com o Setúbal mas voltou em força nos restantes 14 dias.

O Benfica chegava ao jogo sem Fejsa (nunca foi titular contra o Porto desde que joga no Benfica), ainda sem Grimaldo e sem Jimenez que costuma entrar em todos os jogos. O Porto chegava na máxima força e como o seu treinador quis frisar, trabalhou durante 15 dias com 9 dos 11 jogadores que apresentou no clássico. O Benfica trabalhou com 4.

Quem não percebe nada de futebol e ouvisse toda esta legião de pés de microfone durante as últimas semanas diria que o Porto ia entrar na Luz e atropelar o Benfica. Também os adeptos portistas estavam com uma confiança sem limites e ver alguns a defender hoje o que o Porto fez durante e principalmente no final do jogo deixa-me feliz. A cultura de vitória desapareceu de vez.

No final do dia, e após 8 jornadas, o Benfica é novamente a única equipa a depender de si própria para ser campeã. No entanto queria mais. O Porto desperdiçou a oportunidade de garantir para si esse estatuto. No entanto festejou. Muitos podem achar que não mas isto conta muito. O Porto até pode acabar campeão mas no final existe uma coisa que não vai mudar. O Porto não lutou para vencer este campeonato. Preferiu esperar que o Benfica o perdesse.

Nas próximas jornadas vai ser mais do mesmo. A pressão vai estar na ordem do dia. O Benfica que durante mais de 20 semanas a aguentou, dando apenas oportunidade de perder a liderança após o jogo contra o Paços de Ferreira, dizem que vai tremer. O Porto que teve 2 oportunidades consecutivas de chegar ao primeiro lugar e falhou, dizem que dificilmente perde pontos. Aliás a nova moda é que o calendário do Benfica é o mais difícil. Não sei se eles já viram contra quem vão jogar fora de casa e principalmente os resultados que essas equipas têm nos seus redutos. Espero que não tenham pensado muito nisso.

No final do jogo toda a imprensa fez questão de saudar a forma correcta e sem incidentes como decorreu o clássico. Só pode ser para rir. No estádio os adeptos do Porto tentaram derrubar um portão para chegar aos adeptos do Benfica. No final do jogo João Pinto parecia que queria bater em alguém. Pinto da Costa respondeu mal a jornalistas enquanto Luís Gonçalves os ameaçava. Na policia verificaram-se os costumeiros abusos de autoridade com um elemento a pontapear a cabeça de um adepto já no chão. No caminho de casa um autocarro de adeptos do Benfica foi atacado numa estação de serviço e tiveram de fugir, sendo que até um miúdo de 14 anos ficou ferido. Ainda mais a norte a casa do Benfica de Braga era vandalizada pela terceira vez. Ai se fosse ao contrário...

P.S. - Já não existe palavras para descrever o Sporing e no que aquele clube se tornou. Podiam esperar pelo derby e tentar legitimamente fazer de tudo para vencer o jogo dentro de campo. Agora andar a fazer este papel de alternadeira do Porto é deprimente. Lá vão ser 3 semanas a ouvi-los diariamente.

P.S.2 - Já vamos em 6 golos mal validados esta época contra o Benfica. Só o desta jornada não permitiu que o campeonato ficasse já resolvido. Se lhe juntarmos os restantes...

terça-feira, 28 de março de 2017

Demência anti-benfiquista.

Chegamos a um ponto onde até os valores humanos são atirados ao lixo em favor de uma causa anti-benfiquista sem precedentes. Deve andar tudo maluco. Eu ouvi neste fim de semana um jornalista a elogiar a "claque" criada pela FPF, porque diz ele, foram importantes no Europeu. 


Estamos a falar de gente que nos últimos meses ameaçaram árbitros, um deles, o mais conhecido, disse em directo na televisão "que ou os árbitros mudavam ou ia acontecer uma tragédia". Vandalizaram estabelecimentos de familiares de árbitros. Divulgaram nas redes sociais os percursos que os árbitros iam fazer antes dos jogos. Organizaram, também nas redes sociais, esperas a adeptos do Benfica em Braga. E por aí fora. E nos últimos anos só agrediram mais de uma dezena de outros jornalistas, o que pelos vistos não incomoda Otávio Lopes.

O que foi feito ao Benfica esta semana pela FPF é vergonhoso. O processo ao Benfica por causa de um comunicado onde pede igualdade e o desplante de enviar para a Luz uma claque liderada por 2 criminosos bem conhecidos (macaco e mustafa) é algo inimaginável. Já sabíamos que Sporting e Porto estavam unidos contra o Benfica. Esta semana confirmou-se que não estão sós.

Nos últimos 5 anos Luisão já foi castigado 2 meses. Jorge Jesus, ainda no Benfica durante 1 mês, Enzo Perez um jogo uns dias após ter um gesto de roubo com a mão, Vieira mais de um mês todas as épocas após criticar uma arbitragem, e esta época até por um desabafo no próprio camarote. Rui Vitória 15 dias, após uma reunião de emergência, menos de 24 horas depois de ser expulso pela primeira vez no Benfica.

Agora é só pensar um bocadinho em tudo o que temos visto por parte de Porto e Sporting. Criticas a árbitros antes, durante e após os jogos são banais. Muitas das vezes chegam ao insulto. Coacção como a que foi feita com Pizzi na semana passada fazem parte das estratégias de ambos. Colocar o nome do Benfica na lama é o dia a dia não só deles como de muitos jornalistas. Acusações de corrupção sobre o Benfica, árbitros e orgãos de decisão são consideradas coisas normais e passam incólumes. Invasão de balneários de árbitros durante os jogos são práticas comuns a norte. Cuspidelas a outros dirigentes são práticas comuns a sul. Agressões bárbaras como a de Slimani levam meio ano a serem resolvidas com 2 mercados pelo meio e com um castigo ridículo de um jogo.

Tudo mas mesmo tudo vale para impedir o Benfica de ganhar. Hoje não tenho dúvidas que tudo o que façam ao Benfica, mesmo as coisas mais reprováveis em qualquer sociedade, vão ser defendidas em nome do anti-benfica. 

quarta-feira, 22 de março de 2017

A partir da Madalena poderão sempre chamar o 102.

Um árbitro tem a legitimidade para ir ver um jogo de futebol. Mas é normal que o faça na bancada VIP de um clube que apita durante a época?


Um árbitro pode falar com os jogadores. Mas é normal no intervalo de um jogo ter esta intimidade com um jogador e nos primeiros 10 minutos da segunda parte mostrar 4 cartões a jogadores adversários sem justificação?


Cada jogo é um jogo. Mas é normal um árbitro em jogos de Benfica e Porto contra a mesma equipa (V. Setúbal), que fez o mesmo anti-jogo nos 2 jogos, dar 5 minutos de compensação no jogo do Benfica e 12 no jogo do Porto?

E é admissível um árbitro ao apitar para o final do jogo demonstrar desilusão pelo resultado?


Manuel Oliveira é um dos casos mais paradigmáticos do que é o futebol port(o)guês. É evidente a sua parcialidade mas todos fazem de conta que não reparam. Muita gente diz que o apito dourado voltou. Mas eu pergunto. Alguma vez desapareceu? Apenas tivemos umas "tréguas" com a saída  de alguns pontas-de-lança que ainda não tinham substitutos para eles. Convenhamos também que chegar ao nível de Benquerença, Proença ou Marco Ferreira não é fácil.

Por exemplo na época passada o plantel foi tão curto que usaram e abusaram de Jorge Sousa ao ponto de a meio da época este ter de arranjar uma lesão para não ter os jogos suficientes para ser classificado. A essa altura já tinha "cadastro" no Benfica vs Sporting da Supertaça, no Sporting vs Benfica da Taça de Portugal e nos jogos do campeonato Nacional vs Porto e Sporting vs Braga. Não fosse a "lesão" e tinha seguido o mesmo caminho de Marco Ferreira.

Mas na época passada e esta época deram-se a conhecer novos valores e digo-vos, o futuro vai ser muito triste. Tiago Martins, Luís Ferreira, Fábio Verissimo, João Pinheiro e Manuel Oliveira são do pior a que já assisti. A protecção da comunicação social a estes rapazitos já é evidente e o seu silêncio a cada roubo que protagonizam a prejudicar o Benfica e a favorecer Porto e Sporting é a confirmação de que vamos levar com eles muitas vezes.

Arbitragens, nomeações descaradas, conselho de disciplina já sem vergonha, comunicação social a atingir níveis de desonestidade estratosféricos, Sportv cada vez mais parcial nas repetições de lances e... vamos ver os observadores de árbitros. Ainda são dos poucos em que acredito. Mas se no final da época, pelo menos Luís Ferreira se mantiver na primeira categoria então vamos voltar a penar durante muito tempo. Não existe forma de sobreviver ao que está a acontecer actualmente no futebol português.

domingo, 19 de março de 2017

Completaram-se ontem 2 épocas...

...sem que que o Benfica jogue um minuto em superioridade numérica para o campeonato. 2 épocas meus senhores. 68 jogos!!! Até se fosse o Tondela era um escândalo. Em 68 jogos existe sempre uma entrada para vermelho, um jogador isolado que sofre falta ou um jogador que faça 2 faltas para amarelo antes dos 90 minutos. Agora transportem isto para o cenário de uma equipa como o Benfica, que passa 90% dos jogos em cima dos adversários. É inacreditável.

Ontem num lance com o jogo parado, em que Eliseu é rasteirado pelo lateral direito paçence, ficou demonstrado porque é que tal acontece. Não só o amarelo obrigatório não foi mostrado como o Eliseu ridiculamente ainda foi avisado. Ao intervalo o Paços devia ter 4 jogadores amarelados e não tinha nenhum. E isto acontece em TODOS os jogos do Benfica. São perdoados cartões atrás de cartões nas primeiras partes dos jogos. E quando o jogo passa dos 75 minutos já saem do bolso como pipocas para ficar bem nas estatísticas.

Outra coisa que me deixa doido é o que a comunicação social faz semana após semana. Na semana passado isto era penalti indiscutível.


Hoje na capa de 2 jornais desportivos vem em destaque 2 ex-árbitros a dizer exactamente o contrário do que defendiam uns dias antes. Quando veste de encarnado tudo muda de figura.



Para esses meninos só tenho a dizer que já percebemos. Seja como for o Benfica não pode ser campeão. Por isso não nos façam de burros. Não façam de conta que não percebemos o que estão a fazer.

Outro ponto inacreditável é a facilidade com que certos árbitros são nomeados para os jogos do Benfica. Bruno Paixão esteve 4(!!!!) anos sem apitar Porto e Sporting depois de ambos se queixarem de arbitragens suas. Já Tiago Martins roubou o Benfica na meia-final da Taça da Liga e expulsou Rui Vitória e 15 dias depois estava a apitar o Benfica em Braga cometendo novamente erros graves contra o Benfica. Ontem foi João Pinheiro que menos de 2 meses antes tinha deixado um penalti tão escandaloso por marcar a nosso favor que o lance até apareceu em programas internacionais de futebol.

Pedro Proença, Artur Soares Dias e Jorge Sousa. Estes são dos árbitros que mais roubaram e continuam a roubar o Benfica nos últimos anos. Agora alguém que me diga. Lembram-se do último clássico entre Benfica e Porto que não tivesse sido apitado por algum destes 3!!?? Acham que se algum árbitro roubasse um titulo ao Porto como estes já roubaram ao Benfica, voltava a apitar um clássico?